Mundo

Donald Trump agradece ao Irão libertação de ex-militar norte-americano

O fuzileiro foi condenado a 10 anos de prisão por ter insultado o supremo líder iraniano e por ter colocando online informações privadas.

Donald Trump agradeceu ao Irão, através de uma mensagem na rede social Twitter, a libertação de um antigo militar norte-americano, Michael White, com quem falou ao telefone, considerando que "é possível um acordo" entre os dois poderes inimigos.

"Acabo de falar ao telefone com o antigo refém [norte-] americano Michael White, que está em Zurique, depois de ter sido libertado pelo Irão. Em breve, vai estar em um avião [norte-] americano e regressar a sua casa, nos EUA", escreveu na quinta-feira, antes de acrescentar "Obrigado ao Irão. Isto mostra que um acordo é possível!".

White estava detido há quase dois anos no Irão e a sua libertação foi anunciada na quinta-feira. O enviado especial norte-americano para o Irão, Brian Hook, voou até Zurique (Suíça), acompanhado por um médico, para se encontrar com o ex-detido, Michael White, e trazê-lo de volta ao país.

A libertação de White faz parte de um acordo envolvendo um cientista iraniano-americano, que foi julgado pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos, e depois de meses de negociações discretas entre os dois países relacionadas com troca de prisioneiros.

"Tenho o prazer de anunciar que o pesadelo terminou e que o meu filho está sob custódia norte-americana e de regresso a casa", afirmou Joanne White, mãe de Michael, numa declaração em que agradeceu ao Departamento de Estado e a Bill Richardson, ex-embaixador norte-americano nas Nações Unidas e antigo governador do Estado do Novo México.

Michael White, natural de Imperial Beach, na Califórnia, foi detido pelas autoridades iranianas em julho de 2018 quando visitava uma mulher que conhecera nas redes sociais e por quem, entretanto, se apaixonara.

O fuzileiro norte-americano foi condenado a 10 anos de prisão por ter insultado o supremo líder iraniano e por ter colocando online informações privadas.

Apesar de grande especulação, a libertação de White não está relacionada com a deportação para o Irão, já esta semana, do cientista iraniano Sirios Asghari, referiram as fontes oficiais citadas pela agência noticiosa Associated Press (AP).

A libertação do fuzileiro norte-americano, prosseguiram as fontes, está envolvida noutra troca de prisioneiros.

As relações entre os dois países têm sido tensas, depois de os Estados Unidos terem imposto sanções ao Irão, na sequência da decisão do Presidente norte-americano, Donald Trump, de sair do acordo nuclear de 2015.

A tensão foi agravada depois de tropas norte-americanas terem abatido o importante general iraniano Qassam Soleimani, no início deste ano, no aeroporto de Bagdad.

  • 15:42