Mundo

Crocodilo no rio Douro pode afinal ser uma lontra

NACHO GALLEGO

Os peritos afirmam que os rastos são de um mamífero.

O crocodilo do Nilo avistado nas margens do rio Douro, entre Simancas e Tordesilhas, em Espanha, pode afinal não ser um crocodilo.

Após vários dias de busca desde que foi dado o alerta do avistamento, na sexta-feira, os especialistas da associação de Chelonia, que colaboram com o Ministério da Transição Ecológica, determinaram hoje que os indícios que eram atribuídos a um crocodilo do Nilo pertencem afinal a uma lontra, revela o Diário de Valladolid.

Esta conclusão, ainda não definitiva, foi deduzida depois de serem encontrados entre os excrementos deste animal o que parecem ser os restos mortais de peixes, na confluência do rio Pisuerga com o Douro.

Mas os especialistas sublinham que isto não significa que o animal pré-histórico "não esteja por perto a zona".

O perito em rastos de animais acrescentou que não foram encontrados sinais de um ninho que pudesse pertencer ao réptil e disse que em relação à vegetação alterada nas margens, podem ter sido feitas pelos pescadores quando querem aceder às margens dos rios.