Mundo

Polícia holandesa descobre contentores usados como salas de tortura

AP Images

Contentores estavam equipados com uma cadeira de dentista, tesouras de podar, serras, bisturis e alicates.

A polícia holandesa disse esta terça-feira que descobriu celas escondidas dentro de sete contentores, uma das quais servia de câmara de tortura, tendo detido seis elementos de um grupo de crime organizado.

Os contentores estavam num armazém perto de Bergen op Zoom, no sul dos Países Baixos, sendo um deles usado como câmara de tortura, descrita como "sala de tratamento", equipada com uma cadeira de dentista, tesouras de podar, serras, bisturis e alicates.

A descoberta foi feita graças a informações intercetadas num sistema telefónico encriptado usado pelo crime organizado, que tinha sido infiltrado pelas autoridades judiciais e policiais francesas e holandesas, tendo já permitido a detenção de mais de 800 pessoas.

Contentores serviam como celas

Os contentores serviam como celas onde eram detidas pessoas, feitas reféns pelos grupos de crime organizado, onde depois eram torturadas, de acordo com o relato das autoridades policiais holandesas.

Esses grupos de crime organizado dedicavam-se a tráfico de drogas, assassínios, lavagem de dinheiro, extorsão e sequestros.

A operação policial que permitiu desmantelar estes grupos realizou-se em vários países europeus, tendo intercetado em tempo real, mais de 100 milhões de mensagens trocadas através do EncroChat, um sistema telefónico encriptado, que liga redes de criminosos em todo o mundo.

"É como se estivéssemos à mesa com os criminosos, em tempo real", explicou Jannine van den Berg, chefe da polícia holandesa, referindo-se à intercetação das mensagens.