Mundo

Israel ataca alvos militares no sul da Síria

ATEF SAFADI

O exército de Israel alertou hoje que "vai continuar a agir com determinação contra qualquer violação da soberania".

Israel atingiu esta segunda-feira alvos do exército sírio no sul deste país, depois de uma alegada tentativa de colocação de explosivos na linha de segurança que separa os dois países, nos montes Golã, confirmou hoje o exército israelita.

Em comunicado, a força militar de Israel admitiu que "aviões de combate e helicópteros atacaram alvos militares no sul da Síria", pertencentes ao exército daquele país.

"Os alvos atingidos incluem postos de observação, sistemas de recolha de informação, instalações de artilharia antiaérea e sistemas de comando e controle nas bases do exército sírio", refere o comunicado.

A Síria também já comunicou que "aviões israelitas hostis" atacaram vários pontos junto à fronteira traçada pela ONU nos montes Golã, tendo causado "danos materiais".

Os quatro suspeitos de se terem aproximado da linha que separa a Síria do território ocupado por Israel estavam armados com pistolas e engenhos explosivos, tendo sido atingidos por fogo terrestre e aéreo das forças armadas israelitas.

O tenente-coronel do exército israelita Jonathan Conricus admitiu que os militares participaram numa emboscada na sequência da atividade "irregular" nos montes Golã, ocupados por Israel.

Sem confirmar a identidade das quatro pessoas mortas, Israel não descartou a ligação à milícia xiita libanesa Hezbollah ou a grupos que operam na Síria, ao lado do presidente sírio Bashar al-Assad.