Mundo

Subiu para 18 número de mortos no acidente de avião na Índia

PRAKASH ELAMAKKARA / EPA

Caixas negras já foram recuperadas.

Um Boeing 737 da Air India Express com 191 pessoas a bordo despenhou-se esta sexta-feira durante a aterragem no Aeroporto Internacional de Calicut, em Kerala, na Índia.

Pelo menos 18 pessoas morreram, incluindo o piloto, 123 ficaram feridas, 16 em estado crítico.

Foram entretanto recuperados os registos de voo e áudio.

Aeronave partiu-se em dois

O incidente terá acontecido por volta das 19h40 (14h40 em Lisboa) no momento da aterragem. O avião saiu da pista e partiu-se em dois. A bordo seguiam 184 passageiros, incluindo 10 crianças, e 7 tripulantes.

Desconhecem-se ainda as causas do acidente, mas uma cadeia de televisão local aponta para um problema no trem de aterragem. Outra das possibilidades levantadas é a chuva forte que se fazia sentir na altura.

O avião tentou por duas vezes a manobra de aterragem antes do acidente.

O voo tinha partido do Dubai e teria como objetivo repatriar cidadãos indianos devido à pandemia do coronavírus.

Área de segurança da pista tinha sido aumentada

A área de segurança da extremidade da pista do aeroporto foi ampliada em 2018, para acomodar aeronaves de grande porte.

A área de segurança do final da pista responde aos requisitos da agência de aviação civil internacional das Nações Unidas, mas este departamento da ONU recomenda uma área de segurança ('buffer') que seja 150 metros mais longa do que aquela que existe no Aeroporto Internacional de Calicut.

Em 2019, um avião da mesma companhia aérea teve problemas no mesmo aeroporto

Uma tragédia semelhante à de hoje foi evitada por pouco, no mesmo aeroporto, há um ano, quando um voo da Air India Express sofreu um golpe na cauda, também ao aterrar, não tendo nenhum dos 180 passageiros sofrido qualquer ferimento, nessa altura.

A pista de aterragem, com 2.850 metros, fica no topo de uma colina plana com desfiladeiros profundos de cada lado terminando numa encosta de 34 metros.