Mundo

Imagens de Satélite mostram dimensão da mancha de petróleo ao largo da ilha Maurícia

Rita Rogado

Rita Rogado

Jornalista

Foram derramadas mais de mil toneladas de petróleo, com o embate de um navio japonês contra um recife de corais, há quase 3 semanas. Só há uma semana é que começaram os trabalhos de limpeza. Ativistas e a oposição pedem a demissão do ministro do Ambiente.

Grande parte do petróleo que estava ainda dentro do navio encalhado ao largo da ilha Maurícia foi removido.

O navio está em risco de partir, o que pode causar um novo derrame. Centenas de voluntários e especialistas tentam salvar a vida marinha e previnem um possível novo derrame.

Na ilha, já estão peritos da Organização das Nações Unidas para diminuírem os estragos no ambiente. Especialistas realçam a importância da rapidez na limpeza para salvar os ecossistemas.

O navio, que fazia um percurso entre a China e o Brasil, está encalhado há quase 3 semanas. Só há uma é que começaram os trabalhos de limpeza.

Ativistas e membros da oposição já vieram pedir a demissão do ministro do Ambiente pela demora na resposta a esta catástrofe.

O governo já declarou Estado de Emergência. Para a economia da ilha Maurícia, são esperadas graves consequências, por causa das quebras que se vão sentir no setor do turismo.