Mundo

Mais de 30 detidos em festejos pela vitória do PSG em Paris

Festejos em Paris pela passagem do Paris Saint-Germanain à final da Liga dos Campeões

Charles Platiau

Estas comemorações ocorreram numa altura em que estão proibidas concentrações de mais de 10 pessoas.

A polícia francesa deteve 36 pessoas durante a noite de terça-feira, em Paris, devido a desacatos durante os festejos pela qualificação do Paris Saint-Germain para a final da Liga dos Campeões de futebol.

De acordo com fontes policiais parisienses, a maioria das detenções ocorreu na zona dos Campos Elísios, sobretudo devido ao lançamento de objetos e violência contra as forças de segurança.

O tricampeão francês Paris Saint-Germain qualificou-se pela primeira vez para a final da Champions, ao vencer os alemães do Leipzig, por 3-0, em Lisboa, na primeira meia-final da competição. O encontro decisivo, frente a Bayern Munique ou Lyon, está marcado para domingo.

Estas comemorações ocorreram numa altura em que estão proibidas concentrações de mais de 10 pessoas, caso não sejam respeitadas as medidas de proteção à propagação do novo coronavírus, como distanciamento físico e o uso de máscaras.

Já durante a manhã de hoje, a ministra dos Desportos de França, Roxana Maracineanu, apelou à "responsabilidade" dos adeptos, pedindo que durante a final, no próximo domingo, permaneçam em casa, com amigos e com os mais próximos.

"Há que viver este momento de emoção e felicidade com os que são próximos. E já é positivo que o possamos fazer tendo em conta o que vivemos nos últimos meses quando estivemos em confinamento", referiu a governante, reiterando que devem "ser evitadas ao máximo as aglomerações na rua", que "estão proibidas".

Na mesma entrevista à rádio France Info, Maracineanu disse ainda esperar que a final da Champions seja 100% francesa, torcendo pela qualificação do Lyon, prometendo, caso se concretize, tentar convencer o presidente Emmanuel Macron a viajar para Lisboa.

A pandemia de Covid-19 já provocou pelo menos 774.832 mortos e infetou mais de 21,9 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

França contabiliza 30.451 mortos em 331 mil casos de infeção.