Mundo

Resgatados mais de 80 migrantes abandonados em deserto perto da Líbia

Jose Cabezas

Avançou a Organização Internacional para as Migrações.

Oitenta e três migrantes, dos quais quase metade eram mulheres, foram resgatados na semana passada no deserto do Saara, junto da zona de Dirkou (norte do Níger), perto da Líbia, divulgou hoje a Organização Internacional para as Migrações (OIM).

Envolvida no resgate destes migrantes, a OIM informou que o grupo era composto por 41 mulheres nigerianas e 42 homens oriundos da Nigéria, Togo, Gana e do Mali, indicando que a operação de resgate destas pessoas, ocorrida no passado dia 03 de setembro, foi realizada em parceria com os serviços de Proteção Civil do Níger.

Entre as migrantes resgatadas, estavam duas gémeas nigerianas de quatro anos, acrescentou a mesma fonte.

A OIM relatou que estas pessoas tinham saído de Agadez, uma grande cidade localizada no norte do Níger, há cerca de uma semana, e que foram posteriormente "abandonadas por passadores", no dia 01 de setembro, a cerca de 230 quilómetros de Dirkou.

"Passámos três dias aqui sem comida, nem água. Fomos buscar água, mas só encontrámos poços sujos utilizados para o gado. As pessoas desmaiavam à minha volta", contou um migrante nigeriano de 25 anos, citado pela agência da ONU.

Depois de terem recebido água, comida e cuidados médicos, os migrantes foram transportados para um centro de confinamento em Dirkou, onde vão cumprir uma quarentena de 14 dias no âmbito das medidas de prevenção aprovadas por causa da pandemia da doença covid-19, segundo acrescentou a OIM.

Apesar da atual pandemia, milhares de africanos continuam a tentar fazer a perigosa travessia do deserto do Saara, através do norte do Níger e da Líbia, para depois tentar chegar às costas do Mediterrâneo e posteriormente rumar em direção à Europa.

Em abril, mais de 250 migrantes foram resgatados perto de Madama, outra cidade do Níger próxima da Líbia.