Mundo

Trump nomeado para o Prémio Nobel da Paz por deputado norueguês

Leah Millis

"Não importa como Trump age em casa e o que diz em conferências de imprensa, ele tem uma hipótese de receber o Prémio Nobel da Paz".

Um deputado norueguês anti-imigração revelou hoje que nomeou o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, para o Prémio Nobel da Paz pelos esforços no Médio Oriente.

Christian Tybring-Gjedde, membro do parlamento norueguês do populista Partido do Progresso, disse que Trump devia ser considerado por causa do seu trabalho "por um acordo de paz entre os Emirados Árabes Unidos (EAU) e Israel, que abre caminho para uma possível paz no Médio Oriente".

Israel e os EAU chegaram, no mês passado, a um acordo histórico normalizando as relações, que é suposto ser assinado na Casa Branca, em Washington, a 15 de setembro.

"Não importa como Trump age em casa e o que diz em conferências de imprensa, ele tem uma hipótese de receber o Prémio Nobel da Paz", afirmou Tybring-Gjedde à agência norte-americana Associated Press, adiantando que indicou hoje Trump para o prémio de 2021 e acrescentando que o Presidente norte-americano "cumpre os critérios".

As indicações devem ser enviadas ao Comité Norueguês do Nobel até 01 de fevereiro, o que significa que o prazo para indicar pessoas para o prémio da paz deste ano já passou.

Tybring-Gjedde foi um dos deputados noruegueses que já tinham nomeado Trump para o mesmo prémio em 2018, depois dos esforços de reconciliação entre a Coreia do Sul e do Norte. Qualquer membro da legislatura nacional pode fazer nomeações para o Nobel da Paz.

O antigo Presidente norte-americano Barack Obama recebeu o prémio em 2009, apenas alguns meses após o início do seu primeiro mandato, uma decisão que muitos consideraram ser prematura. O comité norueguês defendeu a condecoração a Obama pelo compromisso de "procurar a paz e a segurança num mundo sem armas nucleares".

No ano passado, Trump disse que ia ganhar o Prémio Nobel "por um monte de coisas, caso o distribuíssem de forma justa", o que, afirmou "não fazem".

Tybring-Gjedde é membro do Storting, o Parlamento norueguês, desde 2005, conhecido por ser pró-Israel e por se opor às políticas de imigração que considera serem muito acolhedoras.

O processo de consideração dos candidatos e atribuição do Prémio Nobel da Paz é feito na Noruega, enquanto os restantes prémios Nobel são atribuídos na Suécia.

  • 11:35