Mundo

Homem morre após o uso repetido de um taser por dois polícias em Bogotá, na Colômbia

Chamamos a atenção dos mais sensíveis para as imagens. Mostram o momento em que a vítima foi imobilizada. 

Um homem morreu na Colômbia depois de dois agentes terem usado uma arma de choques elétricos para o imobilizar. O caso de alegada violência policial gerou uma onda de protestos no país.

O advogado, de 46 anos, foi imobilizado no chão por dois agentes e sujeito a repetidos choques elétricos, um incidente filmado por testemunhas que causou indignação no país, fazendo lembrar o caso do afro-americano George Floyd, sufocado por agentes da polícia, nos Estados Unidos.

O homem acabaria por morrer horas depois de ser transportado para um hospital.

Um vídeo de quase dois minutos mostra dois agentes da polícia colombiana administrarem choques elétricos ao advogado Javier Ordoñez, enquanto este implora "por favor" e "agentes, peço-vos", com testemunhas da cena a pedirem também à polícia que pare.

Os protestos começaram no posto onde trabalham os dois polícias envolvidos na morte e espalharam-se a vários locais em Bogotá e a outras cidades do país, com relatos de esquadras incendiadas pelos manifestantes, segundo a agência de notícias espanhola Efe.

Na capital colombiana, multidões incendiaram postos de polícia (os chamados "comandos de ação imediata") em vários bairros, além de veículos da polícia e do Ministério Público.

Pelo menos dois homens terão ficado gravemente feridos durante confrontos entre os manifestantes e a polícia, segundo a agência Efe.

Nas redes sociais, manifestantes divulgaram vídeos de alegados abusos policiais.

O ministro da Defesa, Carlos Holmes Trujillo, que passou parte da noite numa reunião urgente de segurança, disse que os dois agentes que atacaram o advogado "já são objeto de uma investigação disciplinar e criminal".

  • 2:34