Mundo

EUA. Em 4 horas choveu o que seria normal para 4 meses 

Rui Félix

Rui Félix

Editor de Imagem

Sally perdeu intensidade e é agora uma depressão tropical. 

No oeste dos Estados Unidos da América, os incêndios começam a dar tréguas. Já na costa este, ainda se mantém o alerta por causa do furacão Sally. Uma pessoa morreu no Alabama.

Pelo menos um morto à passagem do furacão Sally nos EUA

Pelo menos uma pessoa morreu, depois de o furacão Sally ter atingido os estados do Alabama e Florida, no sudeste dos EUA, disseram na quarta-feira as autoridades locais.

A vítima mortal vivia em Orange Beach, no estado do Alabama, segundo o presidente da Câmara, Tony Kennon, que informou ainda que há pelo menos uma pessoa desaparecida.

O furacão Sally atingiu na quarta-feira a costa do sudeste dos Estados Unidos, com ventos de 165 quilómetros por hora, inundando casas.

Fumo dos incêndios nos EUA deverá chegar à Europa no fim de semana

Dezenas de incêndios continuam ativos no oeste dos Estados Unidos. O fumo libertado pelos fogos fez aumentar a poluição para níveis inéditos no país e prevê-se que chegue à Europa nos próximos dias.

Os incêndios e a poluição causada pelo fumo estão a ser monitorizados pelo Copernicus, o programa europeu de observação da Terra, que diz que estes fogos são "centenas de vezes mais intensos" do que a média nos EUA.