Mundo

Educador de infância totalmente tatuado perde emprego por "causar pesadelos numa criança"

Charles Platiau

Sylvain Helaine começou a fazer tatuagens aos 27 anos e oito anos depois tem o corpo coberto de tatuagens.

Com os olhos tingidos, a língua preta e o corpo coberto de tatuagens, o homem considerado a pessoa com mais tatuagens em França, perdeu o emprego num jardim de infância parisiense depois de uma queixa de um pai.

Charles Platiau

Sylvain Helaine conta que sempre conseguiu manter uma boa relação com os alunos e com os pais, até que surgiu uma queixa de um pai de uma criança de três anos.

Este pai, na queixa dirigida às autoridades educacionais, alegava que o filho estaria a ter pesadelos devido à aparência de Sylvain Helaine.

Charles Platiau

Após esta queixa, o educador de infância foi informado que só poderia lecionar a crianças com mais de seis anos.

"Acho que a decisão que tomaram foi muito triste", disse Helaine ao The Independent.

Um porta-voz da autoridade de educação explicou que alunos com menos de seis anos "podem ficar assustados com a aparência" do educador.

Helaine, que estima ter passado 460 horas sob uma agulha, não tem intenção de mudar de profissão. O educador esperava que as tatuagens ensinassem os alunos a aceitar aqueles que fogem ao normal.

"Talvez quando forem adultos, sejam menos racistas e menos homofóbicos e tenham a mente mais aberta", acrescentou.

Charles Platiau