Mundo

Polícia descarta violação no caso da morte de jovem "intocável" na Índia

Segundo a família, a jovem foi violada e agredida por um grupo de homens.

A polícia da Índia alegou que a jovem "intocável" ("dalit") que morreu na terça-feira - pertencente a um grupo de pessoas que está à margem do sistema de castas hindu - não foi violada. Os suspeitos do caso permanecem sob custódia policial e ainda enfrentam acusações de homicídio.

A morte da jovem por alegada violação por um grupo de homens desencadeou uma onda de indignação na Índia ao longo desta semana, tendo já se registado uma segunda morte com o mesmo modus operandi.

Depois de ter sido violada por quatro homens a 14 de setembro, a vítima de 19 anos foi hospitalizada, na vila de Hathras, no Estado de Uttar Pradesh e depois num centro de saúde com mais recursos em Nova Deli, onde morreu na terça-feira de manhã.

No dia da agressão, a jovem tinha saído com a mãe para o campo e, no momento em que ambas se separaram, os agressores arrastaram a vítima para um lugar escondido, onde a violaram e a tentaram estrangular, segundo a versão da família da jovem num depoimento dado à polícia de Hathras.

A morte da jovem gerou uma onda de indignação visível nas redes sociais, onde com exigências de justiça para a vítima e acusação ao governo de Uttar Pradesh de não oferecer proteção às mulheres e nem aos "dalit".

Anushree Fadnavis

Rupak De Chowdhuri

Anushree Fadnavis