Mundo

Justiça grega considera partido neonazi Aurora Dourada como organização criminosa

Bandeira com imagem do ativista de esquerda Pavlos Fyssas assassinado em 2013 por um neonazi

Costas Baltas

Elemento do grupo grego neonazi condenado pela morte de cantor anti-fascista.

O Tribunal de Atenas considerou hoje culpado Yorgos Roupakias, um dos elementos do Aurora Dourada, pela morte de um cantor anti-fascista em 2013 e determinou que o partido é uma organização criminosa.

O ativista de esquerda Pavlos Fyssas foi assassinado por esfaqueamento na noite de 18 de setembro de 2013, com 34 anos, em frente a um café nos arredores de Atenas.

O militante do Aurora Dourada, que confessou o crime durante o processo, arrisca agora a prisão perpétua.

O fundador e líder Nikos Michaloliakos é considerado culpado de liderar uma organização criminosa.

Polícia lança gás lacrimogéneo para dispersar manifestantes

Segundo as agências de notícias internacionais a polícia está a lançar gás lacrimogéneo para dispersar os manifestantes à porta do tribunal grego.

A sentença foi recebida com gritos e aplausos pelas mais de 15 mil pessoas que se foram juntando nas imediações do tribunal desde o início da manhã, onde colocaram vários altifalantes para tocar músicas de Pavlos Fyssas.

YANNIS KOLESIDIS

Faixas com mensagens com frases como "Eles não são inocentes", "O fascismo não é uma opinião, é um crime", "Pavlos está vivo! Condenem os nazis!" ou "O medo não vai vencer" acumulam-se na avenida Alexandras, enquanto os manifestantes, a maioria dos quais com máscara, se multiplicam frente ao tribunal, tornando impossível manter o distanciamento de segurança.

Os principais partidos políticos gregos estão todos presentes para condenar o fascismo, incluindo uma representação do partido no poder, Nova Democracia (conservador), e os líderes do principal partido da oposição, a coligação de extrema-esquerda Syriza.

Uma grande área do centro da cidade foi fechada ao tráfego como medida preventiva até que os protestos se dissipem e cerca de 2.000 polícias estão presentes na rua para evitar confrontos entre manifestantes antifascistas e possíveis grupos de apoio do Aurora Dourada.

As autoridades colocaram ainda vários agentes da polícia em pontos-chave relacionados com o partido grupo Aurora Dourada, como os locais onde alguns dos crimes em julgamento foram cometidos.

  • 0:57