Mundo

Crianças moçambicanas indocumentadas detidas na África do Sul

Guillermo Arias/ AP

O tráfico de menores na província de Gauteng é um dos maiores desafios das autoridades sul-africanas.

Um grupo de crianças moçambicanas indocumentadas foi detido esta quinta-feira pela polícia quando tentava entrar na província de Gauteng alegadamente para trabalho infantil, anunciaram as autoridades sul-africanas.

As crianças, na faixa etária dos 15 anos, oriundas de Moçambique e o condutor do veículo privado que as transportava, também de nacionalidade moçambicana, foram detidos na manhã de hoje durante uma operação policial em Bronkhorstspruit, 50 quilómetros a leste da capital Pretória, disse a ministra da segurança provincial Faith Mazibuko.

"O condutor, que é também oriundo de Moçambique arriscou, mas foi preso, e as crianças foram encaminhadas para o centro de imigração para serem repatriadas", referiu a governante, indicando que o Ministério do Desenvolvimento Social "tentará localizar os pais das crianças porque têm 15 anos e não podem ser encarcerados", declarou.

"É perturbador descobrir crianças inocentes que deveriam estar na escola, oriundas de Moçambique através de uma rede de tráfico de seres humanos ou saltaram a vedação, porque estão indocumentados e nem sequer têm uma certidão de nascimento", referiu Faith Mazibuko, em declarações no local à televisão sul-africana.

A governante sublinhou que o tráfico de menores na província de Gauteng, motor da economia sul-africana, é um dos maiores desafios das autoridades sul-africanas, salientando que "usar crianças é equivalente a trabalho infantil, que é proibido pelas leis do país".

Mais de 900 pessoas foram detidas pelas forças de segurança durante a noite na província de Gauteng, dos quais 263 detenções na cidade Tshwane (antiga Pretória), por crimes graves, segundo a polícia.

Da lixeira à reciclagem, plástico ajuda a estudar e matar a fome em Moçambique