Mundo

Greta, Trump, povo de Hong Kong e ONU. No total há 318 candidatos ao Prémio Nobel da Paz

Vencedor será conhecido esta sexta-feira.

O Prémio Nobel da Paz 2020 tem 318 candidatos: 211 pessoas e 107 organizações.

Num ano de incertezas e de mudanças a nível mundial, é difícil para os especialistas anteciparem quem será o vencedor.

A pandemia de covid-19 poderá ser um forte motivo para a escolha da Organização Mundial da Saúde, embora esta instituição esteja a ser fortemente contestada pela forma como tem gerido a crise sanitária.

O presidente dos Estados Unidos é outro nomeado. Mas as medidas tomadas para conter a doença podem diminuir as hipóteses de ganhar. Já a primeira-ministra da Nova Zelândia, Jacinda Ardern, tem mais hipóteses de vencer uma vez que o país é um dos melhores exemplos do combate à propagação da covid-19.

Entre a lista dos nomeados estão ainda Greta Thunberg, Julian Assange, Alexei Navalny, a Organização das Nações Unidas e a NATO.

A cerimónia de entrega do prémio será a 10 de dezembro na Noruega. O número de convidados foi reduzido para 100 devido à pandemia.

Veja aqui os vencedores já conhecidos dos Prémios Nobel de 2020:

  • 2:37
  • Marcelo Rebelo de Sousa: aprender a perder para depois ganhar o país

    Presidenciais

    Marcelo Rebelo de Sousa foi um predestinado. Nasceu e cresceu à boleia da ditadura, mas a sua luta foi pela democracia. Parecia não alimentar a vontade de alcançar altos cargos políticos e chegou mesmo a invocar o nome de Deus em vão: "Nem que Cristo desça à Terra!", dizia Marcelo. Declarou também que dez anos como Presidente da República era muito tempo. Mas ei-lo de novo a contrariar-se e a seguir o caminho que já lhe vinha a ser apontado.

    Ana Luísa Monteiro