Mundo

Primeiras eleições na Bolívia sem Morales na corrida desde 1997

Stringer .

O ex-chefe de Estado que governou o país durante 13 anos e está exilado na Argentina desde novembro do ano passado.

A Bolívia vai este domingo às urnas para eleger um novo presidente, mas sem Evo Morales na corrida.

O ex-chefe de Estado que governou o país durante 13 anos, está exilado na Argentina desde novembro do ano passado. Renunciou ao poder depois de ter vencido as eleições desse ano, pautadas por suspeitas de fraude eleitoral.

O partido de Evo Morales continua a ser a principal força política do país e lidera as sondagens. Luís Arce, ex-ministro da economia, reúne 40 por cento das intenções de voto à presidência.

O principal opositor é Carlos Mesa, que já foi candidato em 2019.