Mundo

Protestos e pilhagens em Filadélfia após nova morte de um cidadão negro às mãos da polícia 

Matt Slocum

É mais um caso de violência policial contra a comunidade afro-americana nos Estados Unidos.

Centenas de manifestantes marcharam esta terça-feira pela cidade norte-americana de Filadélfia, pela segunda noite consecutiva, para exigirem justiça em mais um caso de violência policial contra a comunidade afro-americana, com uma nova morte de um negro às mãos da polícia.

A família de Walter Wallace revelou que o homem de 27 anos estava a sofrer uma crise psicológica quando foi baleado por polícias. As autoridades disseram que Walter foi baleado porque se recusou a largar a faca que estava a segurar na altura.

Perante o caso, manifestantes saíram às ruas de Filadélfia, onde o homem morreu, para protestarem contra a violência policial, na segunda e terça-feira.

Michael Perez

De acordo com o departamento local da polícia, citado pela BBC, pelo menos 30 agentes ficaram feridos na primeira noite de confrontos. A polícia local acusou ainda os manifestantes de pilhagens e roubos durante os protestos.

A morte de Walter Wallace

Na segunda-feira à tarde, dois agentes responderam a uma denúncia de que um homem estava armado na vizinhança de Cobbs Creek.

Em declarações à agência Associated Press, o porta-voz da polícia local revelou que o homem, mais tarde identificado por Walter Wallace, estava a segurar numa faca quando os polícias se aproximaram e que, em vez de seguir as ordens dos polícias e largar a arma, decidiu "avançar sobre eles".

Os dois agentes abriram fogo sobre o homem, atingindo-o várias vezes no ombro e no peito. Um dos polícias levou Walter para o hospital, onde foi dado como morto.

Através de uma conferência de imprensa, a família de Walter revelou que o homem era bipolar e estava medicado. Já o advogado disse que foi a família que ligou para os bombeiros, e não para a polícia, para ajudar a lidar com a crise de Walter.

Em vez dos bombeiros, foram enviados dois polícias, a quem a mulher de Walter disse que o homem era bipolar e estava a ter uma crise.

Os protestos em Filadélfia e o apelo da família de Walter

Centenas de manifestantes saíram esta terça-feira à noite, pelo segundo dia consecutivo, às ruas de Filadélfia para pedir justiça pela morte de Walter Wallace. O que começou por ser um protesto pacífico, acabou em confrontos entre os manifestantes e as autoridades, como na segunda-feira.

O pai Walter Wallace Sr. apelou aos manifestantes para "pararem com a violência" por respeito à vítima e à família.

"Não tolero a violência, a cidade destruída, roubos de lojas e todo este caos (…) É uma emergência para ajudar e não para magoar", disse em conferência de imprensa, citado pela agência Reuters.