Mundo

Atancante que matou duas pessoas no Quebec não foi associado a terrorismo

Mathieu Belanger

As duas vítimas eram francesas que viviam no Quebec há alguns anos.

O homem que, no sábado, esfaqueou e matou duas pessoas e feriu outras cinco no centro histórico do Quebec, Canadá, queria "matar o máximo de pessoas possível", mas não foi associado a grupos terroristas, disse este domingo a polícia.

"Ontem [sábado] à noite fomos mergulhados numa noite de horror, quando um homem de 24 anos, que não mora em Quebec, veio até nós com a intenção de causar o maior número de vítimas possível", explicou, em conferência de imprensa, o chefe do serviço policial de Quebec, Robert Pigeon.

"Tudo leva a crer" que o suspeito, armado com uma espada japonesa e disfarçado com trajes medievais, "escolheu as suas vítimas ao acaso", acrescentou.

Duas vítimas eram francesas

Segundo este responsável, duas das vítimas - as quais não especificou se estavam entre os mortos ou os feridos - eram francesas que viviam no Quebec há alguns anos.

Os cinco feridos não correm perigo de vida, mas "alguns sofreram lacerações significativas", explicou ainda.

O suspeito, originário de Montreal, deverá comparecer este domingo em tribunal por videoconferência.

Homem admitiu que há cinco anos que queria fazer isto

"Acho que ele planeou o ataque", acrescentou o chefe de polícia, referindo que o homem não tem cadastro criminal, mas admitiu que há cinco anos que queria fazer isto.

"Todo o Quebec está hoje de luto", avançou, por sua vez, a vice-primeira-ministra, Geneviève Guilbault, considerando que os ataques foram "atos bárbaros".

Os ataques ocorreram no final da noite de 'Halloween' (conhecido como dia das Bruxas em Portugal), na parte antiga de Quebec, no bairro do famoso Chateau Frontenac, um ponto turístico da capital da província canadiana de língua francesa, segundo a polícia, que deteve o agressor pouco depois.

O suspeito agrediu ainda várias pessoas em vários locais da cidade também por motivos desconhecidos.

"Nada indica que o suspeito tenha agido por outros motivos que não pessoais"

O jovem foi alvo de uma perseguição da polícia, nas ruas da cidade velha, tendo sido detido no início da madrugada de hoje (cerca das 01:00 locais, ou seja, 06:00 em Lisboa), disse o porta-voz do departamento da polícia de Quebec, Etienne Doyon, em conferência de imprensa.

"Nas primeiras informações que recolhemos, nada indica que o suspeito tenha agido por outros motivos que não pessoais", especificou a polícia, numa mensagem divulgada a meio da noite na rede social Twitter.

O homem "foi examinado" e "transportado para um hospital para avaliação", acrescentou.

Apesar de ter sido formalmente identificado, a polícia não divulgou a identidade do jovem nem avançou se já era conhecido no departamento.

Quando foi detido, o homem, que, de acordo com o jornal, nasceu em 1996, estava deitado no chão, descalço e em estado de hipotermia.

Tinha uma máscara preta na cara e entregou-se à polícia sem resistência, adianta o jornal Le Soleil de Quebec, que especifica que o suspeito terá planeado o ataque durante pelo menos um ano e meio.

  • O primeiro dia de Web Summit 

    Web Summit

    Acompanhe aqui as palestras do palco principal. Neste primeiro dia, passam pelo palco nomes como Paddy Cosgrave, CEO e fundador da Web Summit, o primeiro-ministro António Costa, Ursula von der Leyen, presidente da Comissão Europeia, ou a atriz Gwyneth Paltrow.

    Em Direto

    SIC Notícias