Mundo

Pelo menos dois mortos em tiroteio junto de sinagoga em Viena

CHRISTIAN BRUNA

Polícia fala em vários suspeitos armados. Uma das vítimas mortais é um dos autores do ataque.

O tiroteio ocorrido esta segunda-feira à noite no centro de Viena causou pelo menos dois mortos e vários feridos, adiantou a polícia, após o ministro do Interior ter revelado que a série de ataques é "aparentemente um ataque terrorista".

Uma das vítimas mortais é um dos autores do ataque.

Segundo revelou a polícia de Viena, na sua conta na rede social Twitter, seis lugares diferentes foram alvo de ataques, com várias pessoas a ficarem feridas.

O ministro do Interior, Karl Nehammer, confirmou que várias pessoas na posse de armas estiveram envolvidas nos ataques, noticia a agência EFE.

Segundo a AFP, o governante acrescentou que o tiroteio que começou perto de uma sinagoga é "aparentemente um ataque terrorista".

Um dos tiroteios aconteceu perto de uma sinagoga, que foi fechada quando o ataque começou, por volta de 20:00 locais [19:00 em Lisboa] .

Aparato policial no local

A polícia austríaca tinha anunciado estar em curso uma operação em larga escala junto a uma sinagoga em Viena, onde, antes, tinha ocorrido um tiroteio.

Também na rede social Twitter, a polícia austríaca revelou que enviou um grande número de agentes para o local, adiantando que ainda está a analisar as circunstâncias do incidente.

A imprensa local, segundo a EFE, divulgou já algumas imagens e vídeos nas redes sociais em que se escutam numerosos disparos.

Por seu lado, o diário Kronen Zeitung adiantou que um agente da polícia ficou ferido com gravidade e que um dos atacantes se fez explodir.

O líder da comunidade judaica, Oskar Deutsch, disse que não é claro que a sinagoga tenha sido o alvo do ataque e que estava fechada na altura.

As reações ao ataque

O chanceler austríaco, Sebastian Kurz, condenou o "repugnante ataque terrorista".

"Jamais nos permitiremos a ser intimidados pelo terrorismo e combateremos estes ataques com todos os nossos meios", destacou através de uma mensagem publicada na rede social Twitter.

Segundo noticia a agência AFP, Sebastian Kurz destacou ainda que o seu pensamento está com "as vítimas, os feridos e os seus entes queridos".

O presidente francês, Emmanuel Macron, também condenou o ataque terrorista no centro de Viena.

"Os nossos inimigos devem saber com quem estão a lidar. Não vamos desistir de nada", destacou, numa mensagem divulgada primeiro em francês e depois em alemão.

O ministério dos Negócios Estrangeiros condenou o atentado ocorrido em Viena e realçou que "a liberdade religiosa é um valor fundamental".

"Portugal condena veementemente o atentado cometido em Viena junto de uma sinagoga. Exprimimos a nossa solidariedade para com as vítimas e suas famílias", pode ler-se na mensagem divulgada na rede social Twitter.

A nota divulgada na conta oficial do gabinete do ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, destaca ainda que "a liberdade religiosa é um valor fundamental".

A União Europeia já "condenou veemente" o "atentado horrível", através de uma publicação no Twitter do Presidente do Conselho Europeu Charles Michel, apelidando-o de "um ato covarde".

"A Europa condena veementemente este ato covarde que viola a vida e os nossos valores humanos. Os meus pensamentos estão com as vítimas e com o povo de Viena após o horrível ataque desta noite. Estamos ao lado da Áustria", pode ler-se.