Mundo

Áustria foi informada que autor do atentado queria comprar munições

Os serviços de informação austríacos (BVT) foram informados pela Eslováquia sobre uma tentativa de compra de munições pelo autor do ataque que provocou quatro vítimas mortais e 22 feridos na segunda-feira em Viena, anunciou o ministro do Interior.

"No decurso das últimas horas, surgiram informações demonstrando que, antes do ataque terrorista, os serviços secretos eslovacos informaram o BVT sobre o atacante. Indicaram que estava a procurar munições", declarou Karl Nehammer em conferência de imprensa.

Em simultâneo, Nehammer acusou o seu antecessor de extrema-direita de ter prejudicado seriamente a atuação do BVT, já que as investigações sobre o atentado de Viena demonstram diversas falhas.

Um comunicado das forças de segurança eslovacas revelou que a polícia deste país informou no verão passado as autoridades austríacas de que o autor do atentado de segunda-feira tentou comprar munições numa loja de armamento eslovaca, aparentemente sem a correspondente autorização.

"A polícia eslovaca obteve informação no verão de que os suspeitos procedentes da Áustria tentaram comprar munições no nosso território", informa a mensagem pública das forças de segurança eslovacas.

O autor do atentado, de 20 anos, foi abatido na noite de segunda-feira pela polícia no centro de Viena.

O jovem tinha dupla nacionalidade, austríaca e da Macedónia do Norte, e foi posto em liberdade condicional em dezembro passado após cumprir parte de uma pena de 22 meses de prisão por ter tentado viajar para a Síria e juntar-se às fileiras da organização 'jihadista' Estado Islâmico (EI).

  • O planeta em que todos vivemos

    Futuro Hoje

    O Planeta Lourenço terá que ser ainda mais simples e eficaz na mensagem. É um risco. Frequentemente, quando me mostram aparelhos ou programas as coisas falham, é o que chamo de síndrome da demonstração. Mas isto acontece na vida real, é assim que vamos fazer.

    Opinião

    Lourenço Medeiros