Mundo

Morreu o “Estripador de Yorkshire”

Mutilava os corpos das vítimas com um martelo, uma chave de fendas e uma faca.

Morreu aos 74 anos o assassino em série britânico Peter Sutcliffe, também conhecido como “Estripador de Yorkshire”. Segundo a BBC, morreu no hospital depois de ter recusado tratamento para a Covid-19. Sabe-se ainda que tinha uma série de condições médicas pré-existentes.

Peter Sutcliffe foi condenado em 1981 depois de ter confessado o homicídio de pelo menos 13 mulheres que esfaqueou e espancou entre 1975 e 1980. Foi apelidado de Estripador de Yorkshire porque mutilava os corpos das vítimas com um martelo, uma chave de fendas e uma faca.

O britânico disse acreditar que estava numa “missão de Deus” para assassinar prostitutas, apesar de nem todas as suas vítimas o serem.

As vítimas

Wilma McCann, mãe de quatro filhos, foi a primeira. A mulher de 28 anos foi atingida por um martelo e esfaqueada 15 vezes em outubro de 1975. O seu filho Richard, com cinco anos na altura, disse agora à BBC que a morte de Sutcliffe vem colocar um ponto final ao caso.

  • Wilma McCann, 28, Leeds, outubro 1975
  • Emily Jackson, 42, Leeds, janeiro 1976
  • Irene Richardson, 28, Leeds, fevereiro 1977
  • Patricia Atkinson, 32, Bradford, abril 1977
  • Jayne McDonald, 16, Leeds, junho 1977
  • Jean Jordan, 21, Manchester, outubro 1977
  • Yvonne Pearson, 22, Bradford, janeiro 1978
  • Helen Rytka, 18, Huddersfield, janeiro 1978
  • Vera Millward, 41, Manchester, maio 1978
  • Josephine Whittaker, 19, Halifax, maio 1979
  • Barbara Leach, 20, Bradford, setembro 1979
  • Marguerite Walls, 47, Leeds, agosto 1980
  • Jacqueline Hill, 20, Leeds, novembro 1980

A investigação a estes assassínios em série levou a uma megaoperação que envolveu cerca de 150 agentes e mais de 11 mil interrogatórios. Sutcliffe chegou a ser questionado nove vezes no processo, sem que, nessa altura, os agentes conseguissem provar a sua culpa.