Mundo

Autocarro que vitimou 41 pessoas no Brasil não tinha autorização para operar

Twitter @alfredotorresms

O autocarro acumulava 11 multas e estava com impostos, licenças e seguros em atraso

A empresa de autocarros Star Viagem e Turismo, envolvida no acidente que fez pelo menos 41 mortos na manhã desta quarta-feira, no estado brasileiro de São Paulo, não tinha autorização para operar, segundo o portal de notícias G1.

Segundo informações da Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp), obtidas pelo G1, a companhia já foi multada várias vezes e era considerada clandestina pelo órgão fiscalizador.

De acordo com a Artesp, "a empresa não possui registo para transporte de passageiros e circula ilegalmente desde 11 de outubro de 2019".

O autocarro envolvido no acidente, que vitimou mortalmente 41 trabalhadores de uma fábrica têxtil, acumulava 11 multas e estava com impostos, licenças e seguros em atraso, não podendo assim estar em circulação.

Em causa está um acidente entre um autocarro e um camião no interior do estado brasileiro de São Paulo, hoje de manhã, que fez, até ao momento, 41 mortos, segundo informações atualizadas pela Polícia Militar.

Ainda de acordo com a polícia, 37 pessoas morreram no local e quatro no hospital ou a caminho dele.

O acidente provocou ainda 10 feridos, que foram transportados para três hospitais da região de Taguaí, cidade localizada a cerca de 350 quilómetros do município de São Paulo.

Segundo relatos dos 'media' locais, o autocarro tentou fazer uma ultrapassagem na Rodovia Alfredo de Oliveira Carvalho, e acabou por colidir de frente com o camião.

Após o grande acidente, que já é considerado, pela Polícia Militar, como o maior em número de mortes nas estradas estaduais de São Paulo em 22 anos, as autoridades locais apelaram à população para doarem sangue em prol dos feridos.

"Nós temos o risco de não poder dar a devida assistência a essas pessoas que tanto precisam, por isso que nós estamos clamando às pessoas da região para que se desloquem aos hemocentros", pediu o secretário estadual da Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn.

De acordo com o secretário, todos os hemocentros do estado estão em níveis críticos de estoque, "especialmente na região de Avaré e Bauru, onde ocorreu esse acidente".

Já o governador de São Paulo, João Doria, disse que o estado está a fazer investimentos nas estradas da região e que ainda está a ser investigada a causa do acidente.

  • "Não sabia como ia acordar. Estava muito assustada"

    Coronavírus

    Rita, Filipa e Andreia conviveram de perto com o coronavírus, cada uma com experiências diferentes. O marido de Andreia esteve internado duas semanas com covid-19 e a filha também esteve infetada, em junho do ano passado. A Rita, a Filipa e a família de ambas estiveram infetadas no último mês. Os sintomas foram ligeiros, mas as preocupações iam além disso. À SIC Notícias, falaram sobre os receios que sentiram e de como ultrapassaram os dias difíceis.

    Exclusivo Online

    Rita Rogado