Mundo

Assassinato de cientista nuclear. Presidente do Irão considera que foi ato terrorista

Homem morreu na sexta-feira na sequência de ferimentos depois de o veículo em que seguia ter sido atacado por "terroristas armados" perto de Teerão.

O Presidente do Irão considera que a morte do cientista foi um ato terrorista.

Hassan Rouhani atribui o atentado ao que diz ser os "inimigos externos" do Irão.

Morte do cientista do setor nuclear

Um importante cientista do setor nuclear no Irão morreu esta sexta-feira na sequência de ferimentos depois de o veículo em que seguia ter sido atacado por "terroristas armados" perto de Teerão, anunciou o Ministério da Defesa em comunicado.

O homem - oficialmente identificado como Mohsen Fakhrizadeh, chefe do departamento de pesquisa e inovação do ministério - ficou "gravemente ferido" quando o seu carro foi alvejado por vários atacantes, que por sua vez foram atacados pela equipa de segurança do cientista, pode ler-se no comunicado, em que acrescenta que a equipa médica não o conseguiu reanimar.

Até ao momento, Israel recusou comentar o assassínio de Mohsen Fakhrizadeh, que o primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, invocou uma vez em conferência de imprensa dizendo para as pessoas se "lembrarem desse nome".

Há quase uma década que Israel é suspeito de realizar uma série de assassínios a cientistas nucleares iranianos.

  • "Não sabia como ia acordar. Estava muito assustada"

    Coronavírus

    Rita, Filipa e Andreia conviveram de perto com o coronavírus, cada uma com experiências diferentes. O marido de Andreia esteve internado duas semanas com covid-19 e a filha também esteve infetada, em junho do ano passado. A Rita, a Filipa e a família de ambas estiveram infetadas no último mês. Os sintomas foram ligeiros, mas as preocupações iam além disso. À SIC Notícias, falaram sobre os receios que sentiram e de como ultrapassaram os dias difíceis.

    Exclusivo Online

    Rita Rogado