Mundo

Mulher de 70 anos manteve filho em cativeiro durante quase 30 anos na Suécia

Homem encontrado sem dentes, com feridas nas pernas e incapaz de andar e falar.

Uma mulher de 70 anos foi detida por suspeitas de manter o filho em cativeiro durante quase 30 anos, num apartamento num bairro de Estocolmo, anunciaram as autoridades suecas esta terça-feira. A idosa nega a acusação.

O homem, com cerca de 40 anos, foi encontrado ferido em casa por um familiar, no domingo. Terá sido tirado da escola pela mãe com cerca de 12 anos e, desde aí, mantido trancado em casa.

"A mãe é suspeita de privação ilegal de liberdade e de causar danos físicos", disse um porta-voz da polícia à agência AFP.

Alguns órgãos de comunicação social suecos dizem, citando o familiar que encontrou o homem, que foi encontrado deitado no chão do apartamento cheio de lixo com um cobertor, sem dentes, com feridas nas pernas e incapaz de falar e andar. A imprensa local refere ainda que havia urina, lixo, pó e o apartamento cheirava a mofo.

À agência Reuters, um dos vizinhos diz que ficou chocado com o caso e contou que sempre pensou que a idosa vivia sozinha naquele apartamento. Diz ainda que a considerava uma boa vizinha.

"O que vamos fazer agora é mapear as circunstâncias e a história de vida do homem e vamos falar com várias testemunhas. Os técnicos vão fazer uma investigação no apartamento", disse Emma Olsson, procuradora de Estocolmo.

As autoridades montaram um perímetro de segurança ao apartamento em Haninge, no sul de Estocolmo, para investigação.