Mundo

Mike Pompeo diz que Irão está "desesperado" por negociações sobre nuclear

POOL New

"Iranianos estão desesperadamente a indicar a sua vontade de regressar à mesa de negociações para terem um alívio das sanções", disse o secretário de Estado norte-americano.

O secretário de Estado norte-americano Mike Pompeo disse esta sexta-feira que o Irão está "desesperado" para regressar à mesa das negociações sobre a questão nuclear, o que atribuiu à política de mão pesada da administração do Presidente cessante, Donald Trump.

"Sabemos que a nossa campanha está a funcionar, porque agora os iranianos estão desesperadamente a indicar a sua vontade de regressar à mesa de negociações para terem um alívio das sanções", disse Mike Pompeo numa intervenção virtual durante uma cimeira de segurança no Médio Oriente, organizada a partir de Manama.

Nesta reunião, organizada pelo Instituto Internacional de Estudos Estratégicos, Pompeo justificou a política do Governo Donald Trump nesta região.

Questionado sobre que conselho daria à administração do próximo presidente dos EUA, Joe Biden, sobre a política para aquela zona, o ainda secretário de Estado norte-americano disse que os membros da equipa "são suficientemente inteligentes" e "encontrarão uma forma de avançar".

No entanto, acrescentou que alertaria "o mundo" sobre qual "não pode ser a direção certa".

"Não pode ser para permitir que o Irão continue a comprar armas, para lhe permitir ter acesso à tecnologia ocidental e ao capital ocidental" porque isto, advertiu, "desestabilizaria o Médio Oriente".

O responsável dos EUA salientou também o facto de, nos últimos meses, Emirados Árabes Unidos (EAU), Bahrain e Sudão terem concordado em normalizar as suas relações com Israel, mais de duas décadas depois do segundo e até então último país o ter feito, a Jordânia, em 1994.

A assinatura dos Acordos de Abraão, que os EUA e o Bahrein formalizaram em setembro passado, para o estabelecimento de relações diplomáticas com Israel, "não teria sido possível sem uma campanha, a máxima pressão e a nossa diplomacia ativa com parceiros fortes na região", sublinhou.

Pompeo declarou-se "confiante de que mais países tomarão a decisão certa" para estabelecer relações com Israel, "porque é a decisão certa para o seu povo".