Mundo

Advogado anuncia que Juan Carlos pagou dívida fiscal de 680 mil euros

Andrea Comas

O rei emérito espanhol é visado por vários inquéritos judiciais.

O rei emérito espanhol Juan Carlos, exilado desde agosto, nos Emirados Árabes Unidos e visado por vários inquéritos judiciais, pagou uma dívida fiscal de 680 mil euros, anunciou esta quarta-feira o seu advogado.

"O rei Juan Carlos (...) apresentou às autoridades ficais uma declaração espontânea que deu lugar a uma dívida fiscal, já regularizada, de 678.393,72 euros, juros e multas incluídos", especificou o advogado Javier Sanchez-Junco, em comunicado.

No texto, o advogado acrescentou que o seu cliente "continua, como sempre, à disposição do Ministério Público, para quáquer procedimento ou ação que este considere apropriada".

Inquérito anticorrupção em curso

No domingo, o jornal El Pais revelou que esta declaração fiscal estava ligada a um inquérito anticorrupção em curso, relacionado com a utilização de cartões de crédito por parte do antigo rei.

O inquérito incide sobre a alegada utilização por Juan Carlos de cartões de crédito ligados a cotas bancárias que não estavam em seu nome, para saber se utilizou testas de ferro para lavar dinheiro, sobre a AFP junto de fontes judiciais.

Um segundo inquérito respeita a eventuais delitos de corrupção no quadro da atribuição a empresas de Espanha de um contrato para a construção de comboio de alta velocidade na Arábia Saudita, em 2011.

No centro do inquérito está o pagamento de 100 milhões de dólares (83 milhões de euros), que Juan Carlos, segundo o jornal La Tribune de Genève, teria recebido em 2008, em conta suíça, provenientes da Arábia Saudita.

Há ainda um terceiro inquérito judicial aberto focado no rei emérito, depois de um relatório do serviço de prevenção da lavagem de capitais, entregue ao Supremo Tribunal - única instância habilitada a julgar Juan Carlos - anunciou a justiça de Espanha em novembro, sem dar detalhes sobre as circunstâncias ou motivos que provocaram o inquérito.