Mundo

Paquistão acusa Índia da morte de dois soldados em Caxemira

Viúvas de soldados de Caxemira pedem para regressar ao Paquistão

FAROOQ KHAN / EPA

O exército indiano acusa o Paquistão de iniciar os combates.

O exército paquistanês disse hoje que dois dos seus soldados foram mortos por militares indianos em Caxemira durante a noite, com cada lado a culpar o outro pelo mais recente surto de violência na disputada região dos Himalaias.

O major general paquistanês Babar Iftikhar escreveu na rede social Twitter que as tropas indianas abriram fogo e o Paquistão "respondeu de forma apropriada".

O tenente-coronel Devender Anand, um porta-voz do exército indiano, acusou o Paquistão de iniciar os combates, disparando balas e morteiros ao longo da Linha de Controlo que separa os dois lados.

A Índia não comunicou quaisquer baixas.

Os dois vizinhos trocam frequentemente acusações por ataques não provocados, em violação de um acordo de cessar-fogo de 2003 ao longo da Linha de Controlo, altamente militarizada.

Ambos os países disputam a região montanhosa na totalidade, desde a partição do subcontinente, em 1947, no final da época colonial britânica.

Diferentes grupos separatistas combatem há décadas a presença de cerca de 500 mil soldados indianos na região, para exigir a independência do território ou a integração no Paquistão.

Dezenas de milhares de pessoas, na grande maioria civis, morreram no conflito.

  • O cartão amarelo que não se percebe 

    Opinião

    Despir a camisola aquando da celebração de um golo é proibido pelas leis de jogo. Penso que toda a gente sabe disso. Aliás, basta apenas que um qualquer jogador cubra a cabeça usando essa peça de equipamento para ser sancionado.

    Duarte Gomes