Mundo

Guia Michelin distingue 21 restaurantes espanhóis pela preocupação com sustentabilidade

Lusa

A nova categoria pretende "recompensar os esforços" dos restaurantes que se empenham na sustentabilidade.

O Guia Michelin Espanha e Portugal 2021 distingue 21 restaurantes, todos espanhóis, com a estrela verde, uma nova categoria que pretende "recompensar os esforços" dos restaurantes que se empenham na sustentabilidade.

"Em linha com a luta global por um mundo mais sustentável, o Guia Michelin posiciona-se e reconhece restaurantes e chefs que estão particularmente empenhados em defender o ambiente com a sua nova distinção, a Estrela Verde Michelin, que procura recompensar os esforços destes estabelecimentos e fazer eco das melhores práticas gastronómicas no campo da sustentabilidade", anunciou hoje a organização, na gala de apresentação da edição do próximo ano do guia ibérico, transmitida a partir de Madrid.

Na cerimónia, o diretor internacional dos guias Michelin, Gwendal Poullenec, destacou que a 'estrela verde' já existe em 13 países e é agora introduzida na Península Ibérica.

O objetivo, disse, é o de "promover uma primeira vaga de restaurantes para quem a sustentabilidade está no centro da sua ética profissional" e que é verificado no terreno pelos inspetores, "muito atentos às boas práticas que cada vez mais proprietários de restaurantes" adotam.

Na apresentação, a presidente da Michelin Espanha e Portugal, María de la Paz Robina, destacou o compromisso da empresa para com a sustentabilidade.

"A razão de ser do Guia Michelin é a mobilidade sustentável. A nossa visão é que tudo vai ser, no futuro, sustentável e isso tem de ser traduzido na nossa estratégia", disse, declarando o compromisso da empresa com a luta contra o aquecimento global e com a redução do carbono.

"Queremos contribuir de forma ativa e positiva para o ambiente e o planeta", sublinhou María de la Paz Robina.

Em declarações à Lusa, fonte oficial da Michelin Espanha e Portugal afirmou que esta distinção não se trata de uma certificação, mas de um reconhecimento da preocupação dos chefs na proteção do meio ambiente.

A sua atribuição, adiantou, resulta da observação direta dos inspetores e da comunicação dos próprios restaurantes à Michelin sobre as práticas que desenvolvem nesta área.

Questionado por que motivo nenhum restaurante português recebeu esta distinção, o mesmo responsável da Michelin ibérica adiantou que se deveu ao facto de nenhum estabelecimento português ter comunicado à empresa as suas preocupações ambientais.

"Mas esta distinção pretende também ser um impulso" para que mais restaurantes se empenhem nestas práticas, referiu.