Mundo

Coreia do Sul envia delegação ao Irão para negociar libertação de petroleiro

TASNIM NEWS AGENCY HANDOUT

O Hankuk Chemi foi apreendido nas águas do Golfo Pérsico pelos Guardas da Revolução iranianos.

A Coreia do Sul vai enviar "logo que possível" uma delegação governamental ao Irão para negociar a libertação de um petroleiro e dos seus 20 tripulantes, anunciou esta terça-feira o Ministério dos Negócios Estrangeiros sul-coreano.

O Hankuk Chemi foi apreendido nas águas do Golfo Pérsico pelos Guardas da Revolução iranianos, o exército ideológico do regime, por alegadamente violar "as leis sobre o ambiente marinho". Segundo eles, o navio transportava 7.200 toneladas de produtos químicos.

Os tripulantes têm nacionalidade sul-coreana, indonésia, vietnamita e birmanesa, segundo os Guardas da Revolução.

"Será enviada ao Irão logo que possível uma delegação para tentar resolver o problema com negociações bilaterais", declarou o porta-voz do ministério, Choi Young-sam.

Por outro lado, o vice-ministro dos Negócios Estrangeiros, Choi Jong-kun, desloca-se na próxima semana a Teerão no âmbito de uma visita de três dia há muito prevista, adiantou o porta-voz.

"Primeiro devemos verificar os factos e garantir a segurança da nossa tripulação"

O Irão procura desbloquear vários milhares de milhões de dólares de fundos congelados por Seul devido às sanções norte-americanas à República Islâmica.

A chefe da diplomacia sul-coreana, Kang Kyung-wha, não comentou as conjeturas de que o Irão apreendeu o petroleiro para pressionar Seul a desbloquear aqueles fundos.

"Primeiro devemos verificar os factos e garantir a segurança da nossa tripulação", disse Kang aos jornalistas, adiantando que estão a ser feitos "esforços diplomáticos para uma libertação rápida".

Mas, ao ser questionado sobre a apreensão do petroleiro com bandeira sul-coreana, um porta-voz do governo iraniano foi hoje bastante direto.

"Se alguém deve ser designado de sequestrador é o governo sul-coreana que tem reféns mais de sete mil milhões de dólares nossos sob um pretexto fútil", disse Ali Rabiei.

O Ministério da Defesa sul-coreano, por seu turno, indicou que o contratorpedeiro Choi Young, com uma unidade de luta contra a pirataria a bordo, chegou a águas próximas do Estreito de Ormuz e "efetua uma missão para garantir a segurança dos cidadãos" sul-coreanos.

A apreensão do petroleiro no Estreito de Ormuz foi anunciada na segunda-feira na televisão estatal iraniana.