Mundo

Mais uma baixa na administração cessante de Donald Trump

Joshua Roberts

Vários elementos da administração ainda em funções decidiram renunciar após a Invasão do Capitólio.

O diretor interino do Serviço de Imigração e Controlo de Fronteiras dos Estados Unidos apresentou a sua demissão após duas semanas no cargo, sendo o mais recente funcionário a sair da administração cessante de Donald Trump, foi divulgado esta quinta-feira.

Tinha assumido o cargo a apenas duas semanas

Jonathan Fahey, que tinha assumido o cargo há duas semanas após a renúncia do anterior diretor Tony Pham, enviou na quarta-feira uma mensagem de correio eletrónico aos funcionários do Serviço de Imigração e Controlo de Fronteiras (ICE, na sigla em inglês) a informar que seria o seu último dia no cargo, avançaram os 'media' norte-americanos.

O diretor interino demissionário não explicou os motivos da sua decisão.

A saída abrupta de Jonathan Fahey ocorre poucas semanas depois da renúncia de Tony Pham, que estava na liderança do ICE desde agosto passado.

ICE teve seis diretores desde que Trump chegou à Casa Branca

Um porta-voz do ICE, uma agência federal que depende do Departamento de Segurança Interna (DHS, na sigla em inglês), afirmou em declarações ao canal de notícias CNN que o subdiretor da agência, Tae Johnson, assumirá a liderança dos serviços migratórios, numa altura em que os Estados Unidos da América (EUA) estão a preparar a tomada de posse do Presidente eleito Joe Biden no próximo dia 20 de janeiro.

A saída de Jonathan Fahey surge poucos dias depois do secretário da Segurança Interna, Chad Wolf, ter anunciado igualmente a sua demissão, 14 meses após uma nomeação que não chegou a ser confirmada pelo Senado (câmara alta do Congresso norte-americano).

O ICE, uma das agências federais responsáveis pela aplicação das políticas migratórias, teve seis diretores desde que o Presidente Donald Trump (republicano) chegou à Casa Branca, em janeiro de 2017, mas nenhum deles foi confirmado pelo Senado nos últimos quatro anos.

São vários os cargos da administração norte-americana que precisam de ser confirmados pela câmara alta do Congresso norte-americano, que até agora era controlada pelo Partido Republicano, antes de assumir oficialmente funções.

O que é o ICE?

Com cerca de 20 mil funcionários e um orçamento superior a 7.000 milhões de dólares (cerca de 5,7 milhões de euros), o ICE é responsável pela gestão de uma rede de centros de detenção para migrantes indocumentados, mas também pelas deportações e pela prevenção do tráfico de pessoas.

Também desenvolve trabalho no combate de vários delitos, como exploração de menores, lavagem de dinheiro e roubo de antiguidades.

Desde a invasão do Capitólio (sede do Congresso norte-americano), no passado dia 6 de janeiro, por apoiantes do Presidente cessante, Donald Trump, vários elementos da administração ainda em funções decidiram renunciar, como foi o caso das secretárias dos Transportes e da Educação, Elaine Chao e Betsy DeVos, respetivamente.