Mundo

Duas girafas morreram eletrocutadas na região ocidental do Quénia

Os cabos elétricos têm provocado a morte de várias espécies, incluindo girafas, abutres e flamingos.

A agência de vida selvagem do Quénia anunciou esta segunda-feira que duas girafas morreram eletrocutadas no domingo, ao embaterem em cabos elétricos na região ocidental do país.

Trizer Mwakinya, do departamento de comunicação da agência de vida selvagem do país, citado pela Associated Press, anunciou que os trabalhadores da companhia elétrica estatal "estiveram no local" para corrigir o problema.

A conservacionista Paula Kahumbu alertou a agência e a elétrica estatal para as mortes que os cabos elétricos provocaram recentemente, incluindo girafas, abutres e flamingos.

"O conselho dos especialistas foi ignorado. As avaliações de impacto regulamentar são notoriamente pobres em muitos projetos de desenvolvimento. É triste que seja preciso este tipo de mortes para sensibilizar algumas pessoas", escreveu a conservacionista na plataforma social Twitter.

Num 'tweet' anterior, em que partilhou uma imagem de duas girafas sob um poste de eletricidade, Kahumbu assinalou que são animais da subespécie Rothschild, a mais alta do mundo.

A agência de vida selvagem do Quénia afirmou que há apenas 609 girafas Rothschild no país.

Estima-se que haja 1.400 espécimes em 'habitat' natural, sendo que, segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza, a subespécie já não é considerada "em perigo", embora se mantenha na categoria "quase ameaçada".