Mundo

Turquia acusa Grécia de "assediar" navio turco no mar Egeu

Yoruk Isik

O Ministério da Defesa grego negou a operação de "assédio" pela aviação.

A Turquia acusou esta terça-feira a Grécia de ter "assediado" um navio turco que realizava "pesquisas técnicas e científicas" em águas internacionais no mar Egeu, o que Atenas nega.

De acordo com o Ministério da Defesa turco, quatro aviões caça gregos F-16 "assediaram" o navio TCG Cesme, nas águas da ilha grega de Lemnos, com uma das aeronaves, que voava a mil metros de altitude, a soltar um foguete anti-radar.

O Cesme é um navio militar de investigação marítima, com 87 metros de comprimento, que se encontra no mar Egeu a realizar "trabalhos exclusivamente hidrográficos, científicos e técnicos", na versão de Ancara.

"Infelizmente, esta é uma das frequentes ações de assédio por parte dos nossos vizinhos gregos", disse o ministro da Defesa turco, Hulusi Akar, acrescentando que será dada "uma resposta adequada" a esta provocação.

Em Atenas, o Ministério da Defesa grego negou a operação de "assédio" ao navio turco pela sua aviação.

"Nenhum avião de combate grego se aproximou do navio turco Cesme", assegurou o Ministério grego, que apenas confirmou um exercício da Força Aérea grega, mas longe da área onde a embarcação da Turquia se encontrava.

Turquia e Grécia retomaram no final de janeiro o diálogo diplomático, interrompido há cinco anos, após meses de tensões entre estes dois países que são membros da NATO.

Ignorando os avisos da Europa, Ancara organizou nos últimos meses várias missões de exploração de gás em águas gregas, causando uma crise diplomática de magnitude sem precedentes desde 1996, quando os dois países estiveram próximos da guerra.

Apesar do regresso ao diálogo, as disputas e desconfianças permanecem entre os dois países.

A missão do navio turco nesta área foi o assunto de uma mensagem na semana passada de Ancara sobre o sistema de alerta marítimo NAVTEX, que gerou um protesto de Atenas que o vê como uma potencial "fonte de tensão".