Mundo

Vaticano proíbe bênção a casamentos gay

Jorge Costa

Jorge Costa

Editor de Imagem

Igreja Católica considera as relações entre duas pessoas do mesmo sexo um pecado.

O Vaticano proibiu a benção a casamentos gay e considera estas relações um pecado. A informação foi avançada pela própria instituição com o aval do Para Francisco.

Seis meses depois de se tornar líder da igreja católica, o Papa Francisco não se opunha a uma decisão que considerava estar entre cada um e Deus. Oito anos depois, em comunicado esta segunda-feira, e com o aval do Papa, o Vaticano diz que nesse tipo de relações a bênção não pode ser considerada lícita.

A barreira da orientação sexual continua de pé. Apesar de serem bem-vindos na fé cristã, a aceitação não se estende à união entre pessoas do mesmo sexo.

A instituição justifica-se e diz que o objetivo não é discriminar, mas reiterar tradições milenares profundamente ligadas à essência sacramental.

Ainda no ano passado, o Papa Francisco defendeu a regulação do casamento civil dos homossexuais afirmando que também são pessoas e, que por isso, tinham direito a fazer parte de uma família.

Foi a primeira vez que um chefe da igreja católica esteve ao lado da defesa dos direitos LGBT, um apoio que fica agora desvalorizado pelas palavras que saem da Santa Sé.