Mundo

Aliança pró-Guaidó anuncia mudanças para reforçar coligação e derrotar Maduro

Manaure Quintero

Para tornar a coligação mais "ampla, inclusiva, eficaz", garantir a convocatória de eleições livres e derrotar "a ditadura" de Nicolás Maduro.

A aliança de organizações e partidos que apoiam o líder da oposição venezuelana anunciou mudanças para tornar a coligação mais "ampla, inclusiva, eficaz", garantir a convocatória de eleições livres e derrotar "a ditadura" de Nicolás Maduro.

"Concordamos na reconfiguração da aliança de partidos políticos, tanto na liderança como na tomada de decisões para a tornar mais útil, ampla, inclusiva, eficaz, assertiva e operacional", de acordo com uma declaração, divulgada na terça-feira, do movimento que apoia Juan Guaidó.

No texto, a aliança explicou ter tomado esta decisão "instada pela necessidade de melhorar e reforçar" a "articulação entre os partidos políticos".

Os signatários acrescentaram também que darão prioridade a medidas de combate à covid-19 e à convocação de eleições presidenciais, legislativas, regionais e municipais de forma "livre e justa".

Por outro lado, asseguraram que vão efetuar novos esforços para convocar e incluir todas as partes que desejem fazer parte da aliança, "garantindo a maior amplitude possível no processo de deliberação e discussão política".

O anúncio chega em ano de eleições, quando se planeia convocar as eleições regionais.

A oposição venezuelana tentou reorganizar-se várias vezes nos últimos anos para garantir uma grande coligação, como a de 2015, quando formou a Mesa da Unidade Democrática.

  • Confidentes de alunos e cúmplices de professores: o braço contínuo

    País

    Chamam-lhes “funcionários” porque funcionam. A expressão até parece sugerir que eles são os únicos que “funcionam”, dentro de uma escola. Acalmem-se os tolos. Significa apenas que os “assistentes operacionais”, ou “auxiliares de ação educativa”, títulos mais pomposos do que “contínuos” – expressão que estimo muito - são pau para toda a colher.

    Opinião

    Rui Correia

  • O planeta em que todos vivemos

    Futuro Hoje

    O Planeta Lourenço terá que ser ainda mais simples e eficaz na mensagem. É um risco. Frequentemente, quando me mostram aparelhos ou programas as coisas falham, é o que chamo de síndrome da demonstração. Mas isto acontece na vida real, é assim que vamos fazer.

    Opinião

    Lourenço Medeiros