Mundo

Autoridades do Iémen confirmam 70 mortos em confrontos violentos perto de Marib

Arquivo.

Khaled Abdullah

O conflito entre rebeldes 'houthi' e forças pró-governo perto de Marib matou 70 pessoas nas últimas 24 horas.

O conflito entre rebeldes 'houthi' e forças pró-governo perto de Marib, o último reduto do governo no norte do Iémen, matou 70 pessoas nas últimas 24 horas, disseram este domingo fontes militares à agência francesa AFP.

Vinte e seis combatentes do Governo e 44 membros dos rebeldes 'houthi' morreram durante os confrontos, que têm estado concentrados nas frentes de Kassara e Machjaa, a noroeste de Marib, capital da província de mesmo nome, rica em petróleo.

Perante a escalada da violência num país dilacerado pela guerra, os rebeldes tentam desde fevereiro apoderar-se deste reduto lealista, localizado a 120 quilómetros da capital Sanaa, controlado pelos 'houthis' desde 2014, como grande parte do norte do país.

Nos últimos meses, os rebeldes também intensificaram os ataques com mísseis e drones na Arábia Saudita e rejeitaram uma proposta de cessar-fogo de Riade.

A perda de Marib seria um golpe para o governo de Riade e uma ameaça para os civis, já que pelo menos um milhão de deslocados encontraram refúgio em campos na região.

Desencadeado em 2014 por uma ofensiva de rebeldes que conquistaram grandes áreas do território, o conflito já causou dezenas de milhares de mortes, de acordo com organizações não-governamentais, e deixou outros milhões à beira da fome, tratando-se, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), da pior crise humanitária no mundo.