Mundo

Itália aprova lei para desviar grandes navios da cidade de Veneza

Riccardo Antimiani

Decreto-lei foi aprovado por 317 votos a favor, 16 contra e 19 abstenções e já teve a aprovação do Senado.

A Câmara dos Deputados italiana aprovou o decreto governamental para desviar definitivamente os grandes navios - especialmente cruzeiros - da cidade de Veneza, com o objetivo de proteger a cidade.

O decreto-lei foi aprovado por 317 votos a favor, 16 contra e 19 abstenções e já teve a aprovação do Senado, no qual em 29 de abril o decreto obteve o apoio de todos os partidos ligados ao Governo do primeiro-ministro italiano, Mario Draghi [Partido Democrata, Movimento Cinco Estrelas, Italia Viva, Forza Italia e La Liga].

O decreto-lei, apresentado em 31 de março, põe fim a uma questão espinhosa há anos, a da passagem de grandes navios e cruzeiros pelas proximidades de Veneza, que suscita críticas dos habitantes e entidades ambientalistas.

O Governo vai lançar um concurso público para receber ideias para construir um porto para estas embarcações, de mais de 40.000 toneladas, fora da região em que se encontra Veneza, separada do mar Adriático por uma estreita faixa de terra.

Até agora, esses navios, turísticos ou comerciais, navegavam em frente à praça de São Marcos para percorrer o canal Giudecca em direção à Estação Marítima, porto onde atracavam, no extremo oeste da ilha.

A UNESCO já havia solicitado em 2012 ao Governo italiano que procurasse alternativas ao tráfego marítimo na zona de Veneza para acabar com a passagem de grandes navios, tendo sido uma das condições posteriormente impostas para impedir que Veneza fosse eliminada da lista de cidades do Património Mundial.

No entanto, isso não impedirá que os cruzeiros voltem a passar em frente à praça de San Marcos no próximo mês de junho, já que está previsto que pelo menos três navios comecem os seus passeios em Veneza porque será necessário criar provisoriamente um cais de desembarque no porto comercial de Marghera.

Enquanto esta solução temporária está a ser providenciada, a lei prevê um concurso, a ser publicado em 60 dias, no qual serão recolhidas ideias para permitir que os cruzeiros atraquem no Adriático, fora de Veneza.

Esta medida tomada esta quarta-feira vai acabar com a passagem dos quase 530 grandes navios que antes da pandemia passavam todos os anos próximo de Veneza.