Mundo

Vários sites de jornais internacionais em baixo 

Também o site do Governo britânico e da Casa Branca foram afetados.

Vários sites de jornais internacionais estiveram esta terça-feira momentaneamente inacessíveis, tais como o The Guardian, Financial Times, New York Times, Bloomberg, Le Monde, El Mundo ou a dinamarquesa TV2.

De acordo com a agência Reuters, alguns dos sites não carregavam e outros estavam mesmo inacessíveis.

Em causa está uma "falha" que atingiu plataformas de media, governos e sites de notícias por todo o mundo.

Nas redes sociais, Matt Taylor, gestor de produto no Financial Times, adianta que se tratou de uma falha na Fastly, uma empresa que é responsável pela rede de distribuição de conteúdos de vários sites.

Esta falha está também a gerou problemas em redes sociais como o Pinterest, o Reddit ou a plataforma digital de gaming, Twitch.

A agência AFP adianta que o site do Governo britânico, gov.uk, que inclui os vários ministérios e permite aos utilizadores realizar muitos procedimentos relacionados com os serviços públicos britânicos, apresentava a mensagem "Error 503 Service Unavailable".

O site da Casa Branca estava a exibir a mensagem "Esta página não está a funcionar" quase ao mesmo tempo.

"Foi semelhante ao que aconteceu no Canal do Suez"

José Tribolet, professor do Instituto Superior Técnico, esteve na Edição do Meio-Dia, da SIC Notícias, para explicar os motivos do apagão por todo o mundo.

O professor do IST comparou a situação ao que aconteceu no Canal do Suez, quando um navio ficou atravessado no canal e bloqueou a circulação, e falou sobre a Fastly.

"Há um ponto que é fundamental em toda uma rede de logística de distribuição de conteúdos (...), quando há um problema neste ponto único, ninguém consegue distribuir nada."

  • O planeta em que todos vivemos

    Futuro Hoje

    O Planeta Lourenço terá que ser ainda mais simples e eficaz na mensagem. É um risco. Frequentemente, quando me mostram aparelhos ou programas as coisas falham, é o que chamo de síndrome da demonstração. Mas isto acontece na vida real, é assim que vamos fazer.

    Opinião

    Lourenço Medeiros