Mundo

Caso da sul-africana que deu à luz 10 bebés gera controvérsia 

Thobile Mathonsi/African News Agency (ANA)

Pai garante que bebés nunca existiram. Grupo de comunicação que avançou com a história assegura que os bebés nasceram e que tem provas.

De um lado está a família do pai dos recém-nascidos que afirma que a mulher está desaparecida e que nunca deu à luz 10 bebés. Do outro lado está o jornalista que acompanhou a gravidez e assegura que nasceram 10 crianças, exigindo a verdade às autoridades de saúde de África do Sul.

Na passada semana, o Pretoria News avançou que Gosiame Thamara Sithole tinha dado à luz 10 bebés de uma só vez, o que poderia quebrar o recorde mundial.

"São sete meninos e três meninas", disse o pai, Tebogo Tsotetsi, ao jornal sul-africano, na altura.

"A família conclui que não nasceram 10 bebés"

Uma semana depois, a família de Tebogo Tsotetsi emitiu um comunicado, no qual concluiu que os 10 recém-nascidos nunca existiram.

"Tebogo confirmou que não viu os 10 bebés e que acreditou na namorada quando esta lhe ligou para o informar sobre o seu nascimento. Ele tentou várias vezes visitar a namorada e os bebés, mas ela não revelou onde estava, nem a condição dos filhos", cita o sul-africano EWN News.

A família afirmou que esta incerteza é "uma grande preocupação": "Especialmente, faltando provas da existência das crianças, para além de chamadas e mensagens da mãe."

Thobile Mathonsi/African News Agency (ANA)

De acordo com o EWN, o Departamento de Saúde de Gauteng não conseguiu encontrar nenhum registo do nascimento dos 10 bebés.

"A família conclui que não nasceram 10 bebés, até prova em contrário, e pede desculpas por qualquer inconveniência ou embaraço."

"Tornou-se numa campanha orquestrada para desacreditar a história"

O Independent Media, o grupo de comunicação social que detém o Pretoria News, que avançou com a história na passada semana, já reagiu à controvérsia. Afirmou que o nascimento dos 10 bebés não é "uma notícia falsa", mas sim "um encobrimento feito pelas autoridades de saúde de Gauteng, que tomou proporções gigantescas".

Depois de uma investigação privada, o grupo sul-africano mantém a história que publicou.

"Em vez de ser um motivo de celebração, tornou-se numa campanha orquestrada para desacreditar a história, a mãe dos 10 bebés, o editor do Petroria News, assim como o Independent Media e o seu diretor, Iqbal Survé, com alegações de que a história é 'fake news'. Não é e nós mantemos a nossa história", disse o grupo de comunicado.

A história foi escrita por Piet Rampedi, o editor do Pretoria News, que acompanhou durante vários meses a gravidez de Gosiame Thamara Sithole. Durante estes meses, o casal foi partilhando as novidades com o jornalista, como as discurssões com o seu médico ou os ultrassons, que revelaram que Gosiame estava grávida de oito bebés.

O Independent Media manteve a história: a mulher deu à luz 10 bebés - sete meninos e três meninas. Adiantou ainda que os médicos ficaram surpreendidos quando, em vez de oito, nasceram 10 bebés.

Após a divulgação da notícia pelo Pretoria News, o departamento de comunicação do Governo sul-africano emitiu um comunicado a esclarecer que não tinha sido capaz de comprovar o nascimento dos 10 bebés.

O Departamento de Saúde de Gauteng avançou com a mesma informação. No entanto, de acordo com o Independent Media, outros departamentos do Governo emitiram declarações contraditórias, confirmando ou negando o nascimento.

Com uma lista de provas do nascimento dos 10 bebés, que admite enviar às autoridades competentes, o Independent Media exige agora a verdade às autoridades de saúde do país.