Mundo

Mesas de voto abrem no Irão para eleger novo Presidente, Raisi é o favorito

ABEDIN TAHERKENAREH

O atual Presidente iraniano, Hasan Rohani, em funções desde 2013, não pôde concorrer nestas eleições por já ter cumprido dois mandatos consecutivos.

As mesas de voto abriram esta sexta-feira no Irão para as eleições em que o novo Presidente do país será escolhido para os próximos quatro anos.

Mais de 59 milhões de iranianos são chamados às urnas, mas espera-se que a afluência seja baixa devido à apatia e ao descontentamento social generalizado, bem como à ausência de candidatos reformistas ou moderados de peso.

Quatro candidatos, três conservadores e um moderado, competem pela presidência, com o clérigo ultraconservador e atual chefe do poder judicial, Ebrahim Raisi, a assumir-se como favorito.

Os rivais são Abdolnaser Hematí, antigo governador do Banco Central do Irão e o único moderado; Mohsen Rezaí, atual secretário do Conselho de Discernimento do Interesse Superior do Regime e antigo comandante da Guarda Revolucionária; e o primeiro vice-presidente conservador do parlamento, Amirhosein Qazizadeh Hashemí.

As mesas de voto vão estar abertas até à meia-noite (20:30 em Lisboa). Segundo o Ministro do Interior, Abdolreza Rahmani Fazli, o prazo pode ser prorrogado até às 02:00 de sábado (22:30 de sexta-feira em Lisboa).

Como habitualmente, o primeiro a votar foi o líder supremo, Ali Khamenei, que disse ser hoje "o dia da nação iraniana" porque "determina o destino do país" para os próximos anos.

Uma sondagem publicada na quarta-feira, antes do dia de reflexão, pela televisão estatal em inglês, apontava para uma participação de 46%, embora outras sondagens tenham apontado para dados mais baixos.

A referida sondagem também dá uma vitória clara a Raisi, com pelo menos 57,3% dos votos.

As eleições presidenciais são realizadas em simultâneo com as municipais e parciais de alguns membros do parlamento e da Assembleia de Peritos.