Mundo

Dia Mundial do Refugiado. Papa Francisco apela para "abrirmos o nosso coração"

Data assinalada em Lisboa e no Porto com iniciativas de sensibilização.

Dia 20 de junho celebra-se o Dia Mundial do refugiado. Em Lisboa e no Porto, as ações pretendem sensibilizar os cidadãos para as dificuldades com as quais se deparam quando atravessam o Mediterrâneo.

A guarda costeira espanhola resgatou este domingo 45 migrantes nas Canárias, o grupo era composto por 37 pessoas e 8 crianças.

De acordo com os dados divulgados pela Organização das Nações Unidas, existem mais de 82 milhões de refugiados e deslocados internos no Mundo.

Em 2020, registou-se um aumento de 4% de refugiados em relação a 2019. Há 10 naos eram metade, nomeadamente, 40 milhões de refugiados.

O Presidente da República Marcelo Rebelo de Sousa publicou uma nota no site da Presidência, sublinhando que, a cada dois segundos, existe um deslocado no Mundo.

Cerca de 1 milhão de pessoas nasceram fora do seu país nos últimos três anos devido a problemas como conflitos, violência e perseguição.

O Papa Francisco assinalou o dia com um comunicado:

"vamos abrir o nosso coração aos refugiados, tornar nossas as suas tristezas e alegrias, aprender com a sua resiliência corajosa e, assim, todos juntos, criaremos uma comunidade mais humana, uma grande família".

Segundo a Organização Internacional para as Migrações, desde 2014 já morreram mais de 20 mil pessoas apenas em travessias no mar Mediterrâneo.

Portugal recebeu quase 3 mil refugiados nos últimos anos ao abrigo de programas internacionais de acolhimento de pessoas.

Portugal é o sexto Estado-Membro da União Europeia que mais refugiados recebeu ao abrigo do Programa de Recolocação aprovado por Bruxelas, tendo acolhido 1.550 refugiados, vindos da Grécia (1.190) e Itália (360), entre dezembro de 2015 e abril de 2018 e distribuídos por 97 concelhos do país.

Veja também: