Mundo

Recuperados restos mortais de 19 vítimas do acidente aéreo no extremo oriente da Rússia

EMERCOM OF RUSSIA PRESS SERVICE HANDOUT

Uma das vítimas do acidente já foi identificada, avança o Ministério regional para Situações de Emergência.

As equipas de resgate recuperaram, até agora, os restos mortais de 19 pessoas que estavam a bordo do avião que se despenhou na terça-feira na península de Kamchatka, no extremo oriente da Rússia, informaram esta as autoridades locais.

"Os restos mortais de 10 pessoas foram encontrados durante as operações de busca nas costas [da península] de Kamchatka (...). Os trabalhos foram suspensos durante a noite", indicou o Ministério regional para Situações de Emergência, num comunicado enviado quarta-feira à agência France-Presse (AFP).

Posteriormente, o ministério confirmou a recuperação de outros nove corpos, tendo avançado que uma das vítimas do acidente já tinha sido identificada.

Um avião Antonov An-26, propriedade de uma pequena companhia local, com 22 passageiros e seis tripulantes a bordo, desapareceu dos radares na terça-feira pouco antes da aterragem prevista na cidade costeira de Palana, na zona da península de Kamchatka.

Após várias horas de buscas, as equipas de resgate conseguiram localizar destroços do aparelho ao longo da costa e no mar de Okhotsk.

Os meios de comunicação social russos informaram, na terça-feira, que nenhum tripulante ou passageiro, incluindo duas crianças, que estava a bordo do aparelho tinha sobrevivido.

Os trabalhos de busca e de resgate, que estão a envolver 51 elementos e meios aéreos e marítimos, estão a decorrer em condições meteorológicas adversas, nomeadamente nevoeiro, ondulação e ventos fortes.

O governador de Kamchatka, Vladimir Solodov, declarou, entretanto, três dias de luto na região e deslocou-se a Palana, onde prometeu às famílias das vítimas "toda a ajuda necessária", segundo indicou um comunicado das autoridades, igualmente citado pela AFP.

O Presidente russo, Vladimir Putin, também enviou as suas condolências aos familiares das vítimas.

O aparelho, de conceção soviética, fazia a ligação entre a capital regional Petropavlovsk-Kamtchatski e a cidade Palana quando deixou de transmitir as coordenadas.

Um inquérito foi, entretanto, aberto para determinar as causas do acidente, com as equipas de investigação a analisarem várias hipóteses, nomeadamente más condições meteorológicas, problemas técnicos ou um possível erro humano.

O modelo Antonov An-26, produzido entre 1969 e 1986 na antiga União Soviética, tem estado envolvido em vários acidentes fatais nos últimos anos.

Veja mais:

  • 2:29