Mundo

Caso Sarah Everard. Polícia britânico declara-se culpado em tribunal

Frank Augstein

A sentença será pronunciada a partir de 29 de setembro numa audição marcada para durar dois dias.

O agente de polícia acusado do homicídio da londrina Sarah Everard, cujo desaparecimento no início de março chocou o Reino Unido, declarou-se culpado em tribunal esta sexta-feira.

Wayne Couzens, de 48 anos, compareceu por videoconferência da prisão de alta segurança de Belmarsh, em Londres, onde está detido, para uma audiência no Tribunal Criminal de Old Bailey, em Londres.

A sentença será pronunciada a partir de 29 de setembro numa audição marcada para durar dois dias.

O agente da Polícia Metropolitana de Londres responsável pela proteção de representações diplomáticas já se tinha declarado culpado de sequestro e violação da jovem de 33 anos, que desapareceu a 3 de março enquanto regressava a pé a casa após visitar uns amigos.

Couzens foi detido a 9 de março e o corpo de Sarah Everard encontrado um dia depois, num bosque perto da casa dele, em Kent, sudeste da Inglaterra.

Segundo o relatório da autópsia, a causa da morte foi "compressão do pescoço".

O caso causou uma grande emoção no país, relançando o debate sobre a violência contra as mulheres, tendo milhares de mulheres partilhado o sentimento de insegurança nas redes sociais, recordando as ameaças e assédios sofridos e urgindo os políticos a agir para resolver o problema.

Veja também: