Mundo

Número de mortes em colapso de prédio em Miami sobe para 94

Wilfredo Lee

Há dezenas de corpos por identificar.

Subiu para 94 o número de vítimas mortais do colapso do prédio em Miami, nos Estados Unidos. Há ainda 22 pessoas desaparecidas.

Dos 94 corpos resgatados, 83 ainda estão por identificar. A presidente da Câmara de Miami-Dade diz não haver uma previsão da data para o fim das buscas no local.

BUSCAS POR SOBREVIVENTES DURARAM 14 DIAS

Os socorristas norte-americanos, ajudados por mexicanos e israelitas, fizeram buscas por sobreviventes durante 14 dias, ininterruptamente, de dia e de noite, enfrentando as más condições climatéricas, provocadas pela tempestade Elsa, com ventos fortes e chuva intensa a atingirem o estado da Florida, durante o fim de semana.

Além de um adolescente encontrado no dia do desastre, não foram localizados outros sobreviventes.

O desabamento do edifício deu-se no dia 24 de junho e foi gravado em vídeo que, segundo as imagens, mostra o centro do edifício, formado por três torres adjacentes, a cair primeiro.

Existem dois relatórios, realizados em 2018 e 2020, que apontaram "danos estruturais significativos" nas Torres Champlain e "fissuras na cave" do edifício, com recomendações para a realização de obras.

Daniella Levine Cava prestou declarações a garantir que o Governo municipal está a rever as questões de segurança dos edifícios e desenvolver recomendações "para garantir que uma tragédia como esta" nunca volte a acontecer.

  • Merkel: mãe e verbo da Alemanha moderna

    Angela Merkel

    Carinhosamente chamada pelos alemães de "Mutti" (mãe), protagonizou um estilo único de fazer política na Alemanha. Não era uma grande oradora, nem fazia discursos inspiradores, mas a postura pragmática valeu-lhe respeito e admiração. "Merkeln" passou a ser verbo na Alemanha, em alusão à forma como a chanceler toma decisões.

    Ana Luísa Monteiro