Mundo

Bruxelas quer aplicar preço a emissões de CO2. Medida levanta dúvidas entre eurodeputados

Correspondente SIC

Proposta da Comissão Europeia teve algumas críticas.

Bruxelas propõe aplicar um preço às emissões de dióxido de carbono, com impacto no custo do aquecimento das casas e dos combustíveis para transporte. A medida levanta muitas dúvidas entre os eurodeputados.

Para cumprir as novas metas climáticas e reduzir as emissões até 2030, Bruxelas avançou esta quarta-feira com um dos maiores pacotes legislativos, com propostas e mudanças que vão do transporte marítimo ao preço dos combustíveis e ao aquecimento dos edifícios.

Para já é uma proposta, mas se passar na negociação entre os 27 e o Parlamento Europeu pode significar que dentro de 14 anos deixa de ser possível comprar carros novos a gasolina ou gasóleo ou que emitam gases com efeito de estufa, incluindo híbridos. A partir de 2035, automóveis novos só elétricos ou com tecnologia que garanta emissões zero.

A medida apresentada levantou dúvidas entre os eurodeputados e teve ainda algumas críticas.

O eurodeputado Pascal Canfin lembrou que foi o aumento do preço dos combustíveis que levou os coletes amarelos para a rua. O francês diz que é preciso não repetir erros.