Mundo

Oscilação de arranha-céus no sul da China atribuído a mastro no topo

Stringer .

O governo de Shenzhen, o hub tecnológico da China, disse que o SEG Plaza é seguro e que vai remover o mastro e usar outros métodos para cumprir as suas funções.

O balanço de um arranha-céus de 70 andares na cidade de Shenzhen, sul da China, foi resultado de ventos que causaram vibrações num mastro projetado para proteger contra trovões e para sinalizar aviões, disseram esta quinta-feira as autoridades.

O governo de Shenzhen, o hub tecnológico da China, disse que o SEG Plaza é seguro e que vai remover o mastro e usar outros métodos para cumprir as suas funções.

Vários especialistas foram trazidos de toda a China para investigar a causa da oscilação e avaliar a segurança do prédio.

A China experimentou um boom na construção, nos últimos anos, junto com a formação de um número recorde de engenheiros.

No incidente, ocorrido em 18 de maio passado, os escritórios e lojas do prédio começaram a oscilar, mas houve poucos danos. A oscilação levou à evacuação do prédio e à fuga de pedestres nas proximidades.

Proprietários de empresas no prédio de 20 anos terão permissão para retornar "o mais rápido possível", disse o governo da cidade.

Os primeiros 10 andares são um mercado de eletrónicos e escritórios ocupam a maior parte do resto do edifício, que tem mais de 300 metros de altura.

Situada na fronteira com a região semiautónoma de Hong Kong, Shenzhen foi transformada de uma vila de pescadores, na década de 1970, num próspero centro da indústria eletrónica.