Mundo

Gestão da pandemia e desemprego levam à rua milhares de brasileiros contra Bolsonaro

Manifestações em 23 dos 26 estados brasileiros.

Dezenas de cidades brasileiras assistiram este sábado a protestos contra o presidente Jair Bolsonaro. As manifestações decorreram de forma pacífica, mas no Rio de Janeiro e em São Paulo o final das marchas de protesto ficou marcado por confrontos entre alguns manifestantes e a polícia.

Os confrontos entre manifestantes e a polícia aconteceram ao início da noite, quando a maior parte dos participantes das marchas de protesto tinha já dispersado.

Horas antes, milhares de pessoas ocupavam de forma pacífica muitas das principais artérias das cidades brasileiras para exigir a destituição de Jair Bolsonaro, incluindo Fernando Haddad, ex-candidato presidencial do PT.

É o quarto protesto em menos de dois meses, impulsionado em grande medida pela actuação do presidente na gestão da pandemia.

Apesar de muitas decisões serem tomadas de forma autónoma pelos diferentes estados, para os manifestantes o governo federal de Jair Bolsonaro é o principal responsável por aquilo que consideram ser a forma desastrosa como o Brasil enfrentou e continua a enfrentar a pandemia que já provocou mais de meio milhão de mortes.

Nos protestos pediu-se a saída do presidente e a chegada de mais vacinas. As críticas a Jair Bolsonaro vão muito além da questão pandémica, numa altura em que o Brasil enfrenta um momento crítico, com uma inflação em alta e 15 milhões de desempregados.