Mundo

Pentágono "em segurança" após tiroteio nas imediações do edifício

Andrew Harnik

Troca de tiros numa estação de Metro que serve o edifício.

A Agência de Proteção da Força do Pentágono reabriu o Pentágono e disse que o edifício está seguro, após o encerramento provocado por um tiroteio ocorrido esta terça-feira na estação de autocarros que serve uma das entradas.

"A cena do incidente está segura. Ainda é uma cena de crime ativa", escreveu a Agência na sua conta oficial de Twitter, pedindo a toda a gente que se mantenha longe das plataformas de embarque no Pentagon Transit Center.

"O Pentágono levantou o encerramento e reabriu", disse depois a Agência, referindo que várias zonas ainda estão bloqueadas, incluindo a entrada para a zona de transportes do Metro Bus.

As autoridades confirmaram entretanto a existência de feridos, sem avançarem um número concreto ou a gravidade dos ferimentos. Sabe-se apenas que um dos feridos é um polícia.

O jornal local Arlington Now reportou que "pelo menos três pessoas" foram atingidas a tiro, duas das quais em estado grave.

Polícia, bombeiros e paramédicos acorreram ao local após o tiroteio, que aconteceu às 10:30 locais (15:30 em Lisboa).

Andrew Harnik

A plataforma é usada diariamente por milhares de empregados do Pentágono, sendo que os transportes foram desviados da área.

O Arlington Now citou uma testemunha que disse ter ouvido "pelo menos uma dúzia de disparos" e assistiu a manobras de ressuscitação em duas vítimas caídas no chão.

O departamento de bombeiros e paramédicos da zona, Arlington Fire & EMS, confirmou no Twitter que a equipa encontrou "múltiplos pacientes" no cenário do incidente.

Segundo a agência de notícias France-Presse (AFP), por causa do incidente, o Pentágono foi colocado em estado de alerta máximo.

Citando os Serviços de Segurança do Departamento de Defesa norte-americano, a AFP refere que os funcionários do Pentágono foram chamados por alto-falantes para permanecerem dentro do prédio, depois dos disparos.

A estação de televisão local WUSA mostrou várias ambulâncias e veículos da polícia na zona em redor do Pentágono.

Andrew Harnik