Mundo

Português em La Palma descreve o cenário perto do vulcão

Jorge Miranda falou com a SIC.

A Agência Espacial Europeia diz que a lava do vulcão de La Palma, nas Canárias, já destruiu 166 edifícios e mais de 100 hectares.

O vulcão Cumbre Vieja tem agora nove bocas, mais uma do que ontem, o que obrigou à evacuação de uma outra localidade. Durante a noite foram sentidos quatro sismos.

O Governo português continua a acompanhar de perto tudo o que se passa nas Canárias e diz que se for necessário retira os portugueses da ilha.

Jorge Miranda é um dos portugueses que está no local. Diz que do sítio onde está, consegue ver a última boca do vulcão.

"Eu vejo bastante fumo, mas não se veem as chamas", disse à SIC.

Jorge Miranda revela ainda que até ao momento não recebeu qualquer contacto por parte do Governo português.

CUMBRE VIEJA DE LA PALMA É UM DOS COMPLEXOS VULCÂNICOS MAIS ATIVOS DAS CANÁRIAS

O Cumbre Vieja de La Palma é um dos complexos vulcânicos mais ativos das ilhas Canárias, sendo o responsável por duas das três últimas erupções nas ilhas, o vulcão San Juan (1949) e o Teneguía (1971).

Desde o início da semana a ilha encontrava-se em alerta amarelo devido ao risco de erupção vulcânica na zona (nível 2 de 4).

Desde que há registos históricos - desde a conquista das Canárias no século XV - La Palma foi cenário de sete das 16 erupções vulcânicas registadas no arquipélago.

La Palma, com 85 mil habitantes, é uma das oito ilhas do arquipélago das Canárias. No seu ponto mais próximo com África dista 100 quilómetros de Marrocos. A ilha espanhola encontra-se a 460 quilómetros da ilha portuguesa da Madeira e 1.428 quilómetros da ilha do Sal (Cabo Verde).

A anterior erupção em La Palma ocorreu em 1971, em Teneguía, no sul da ilha, e durou 24 dias.

Veja também: