Mundo

Grupo de alunos norte-americanos lança petição a pedir regresso da escravatura

Wallace Moura

Alunos pertencem a uma escola do Estado do Missouri.

Autoridades de Kansas City, a cidade com maior população do estado do Missouri, abriram uma investigação depois de um grupo de estudantes lançar uma petição online a pedir o regresso da escravatura.

A petição veio à tona na semana passada, depois de os alunos da Park Hill South High School a publicarem durante uma atividade relacionada com a escola, dizem as autoridades.

Mais detalhes sobre o número de estudantes envolvidos, a linguagem específica da petição ou o que poderia ter causado isto não foram divulgados por se tratar de uma questão disciplinar, disse a porta-voz do distrito Nicole Kirby na quarta-feira.

Jeanette Cowherd, superintendente do distrito escolar de Park Hill, disse, numa carta à comunidade, na quarta-feira, que o distrito não tolera discriminação ou assédio e tem políticas específicas que tratam de quaisquer violações e que podem resultar em suspensão ou expulsão.

O distrito também proíbe ataques contra pessoas com base em fatores como etnia, sexo, religião, deficiência ou outras características pessoais.

“Não posso partilhar os detalhes da disciplina de nenhum aluno em particular, mas posso dizer que seguimos a política do Conselho ao disciplinar os alunos”, escreveu Cowherd.

Kerrie Herren, diretora de Park Hill South, disse que um estudante a notificou sobre a petição na quinta-feira e que vários funcionários da escola estão a trabalhar para ajudar alunos e funcionários incomodados com o incidente.

“Acho que uma grande parte da nossa população está magoada, louca, indignada e confusa e quer usar isso como forma de tornar Park Hill South melhor", disse Herren.

Cerca de 12,7% dos alunos são de etnia africana em Park Hill.

Terri Deayon, a diretora distrital de Acesso, Inclusão e Envolvimento Familiar, disse que os funcionários do Estado se reuniram com grupos de alunos e funcionários em Park Hill South e no LEAD Innovation Studio, outro estabelecimento do campus de Park Hill South.

"Acredito que estamos numa situação que vamos enfrentar, restaurar e curar. Seremos melhores e vamos aproveitar isso e usar isso como uma oportunidade para melhorar", disse Deayon.

Veja também:

  • A escola como uma gigantesca perda de tempo

    País

    Pode ser Eva. Fez um teste de Geografia e foi a única da turma a ter negativa. Dos seus olhos formosos e inexpressivos, num rosto negro como o touro do Herberto Helder, ruíram-lhe duas lágrimas. Mas daquelas que represam tanta água - tanta mágoa - que deixam cicatrizes aquosas. 43%.

    Opinião

    Rui Correia